TJA 100 anos: programação do centenário do Theatro José de Alencar

jun 16, 2010
Theatro José de Alencar e sua clássica fachada | foto: divulgação

Theatro José de Alencar e sua clássica fachada | foto: divulgação

O Theatro José de Alencar, em Fortaleza, no Ceará, chega ao seu centenário no próximo dia 17 de junho, quinta-feira. A programação especial já acontece há alguns meses, mas no dia que o Theatro completa 100 anos ela se torna especial. Confira os destaques:

7h
Antes mesmo da abertura das portas, o TJA é saudado com um solo de sax entoando os parabéns pelo músico José Rocha, às 7 horas da manhã, em sua calçada. Em seguida, as portas do já centenário teatro serão abertas e, no saguão, a Banda de Música da Base Aérea de Fortaleza dá as boas vindas aos visitantes.

8h
Diversas programações simultâneas tomam conta do TJA e entorno. No pátio nobre, os alunos das atividades de formação do TJA – residências artísticas e Curso Princípios Básicos de Teatro – saúdam o público com performances, esquetes e apresentações preparadas especialmente para o dia. Também às 8h, estarão abertas as três exposições da série Camarins Abertos (grupo Bagaceira de Teatro – 10 anos de atividades, palhaço Trepinha – o mais antigo em atuação e residente do TJA, e Ricardo Guilherme – 40 anos de carreira).

8h às 17h
A Banda de Música do Corpo de Bombeiros abre a programação na praça José de Alencar, às 8h. Durante todo o dia, a ocupação da Praça se dará de maneira peculiar: festas, folguedos e brincadeiras ocupam cinco pontos com apresentações simultâneas. A intervenção de mais de 50 solistas e coletivos artísticos de teatro, dança, música e circo também aconteceu em 1910 na mesma praça para saudar a chegada do Theatro a Fortaleza. Bacamarteiros, maracatu, reisados, boi, quadrilhas, batuques, circenses e solos estarão durante todo o dia. Serão mais de 50 grupos artísticos, reunidas sob curadoria do pesquisador Oswald Barroso e a ambientação do cenógrafo Adjafre.

Mestres da Cultura Popular do Ceará estarão representados pelos mestres Bigode, Margarida Guerreiro, Zé Rio, Dona Gerta, Dina. Também se apresentam os Artistas da Praça como Quebra Coco, Rodrigo do Boneco e Palhaço Colorau. Entre os grupos de Fortaleza, marcam presença o Boi Juventude, Afoxé Oxum Odalá, Vidança, Maracatu Rei de Paus, Maculelê, Grupo de Caretas, Bate Palmas – Banda de Lata, Alagba e Caravana Cultural e as quadrilhas juninas Zé Testinha, Raízes do Nordeste, Cai Cai Balão, Estação Junina.

9h/12h30
No palco principal, as apresentações iniciam às 9h com o grupo Syntagma, seguido, às 12h30, do espetáculo “As vizinhas”, da Cia Cearense de Molecagem com a presença do ator Jorge Ritchie. Tudo gratuito.

10h
No Jardim, às 10h, tem apresentação no jardim da quadrilha junina infantil Cai Cai Balão e mais uma vez os parabéns, mas desta vez com um bolo de aniversário dos 100 anos que terá 4 metros de cumprimento. Ao meio dia, o samba e o carnaval tomam conta do saguão, com apresentação dos ritmistas da Escola de Samba Unidos do Pajeú, campeã do carnaval de Fortaleza 2010 com samba-enredo sobre os 100 anos do TJA. De 10h às 17 horas, a Cia. Epidemia de Teatro realiza intervenções com o público com sua caixinha de teatro naquele espaço e no saguão nobre.

15h/17h
O palco principal recebe a partir das 15 horas diversos números circenses realizados por mais de 20 circos de Fortaleza, Parajuru, Cariri e Aracati. De lá, a programação segue para o pátio nobre, onde às 17h a Trupe ‘Caba de Chegar apresenta o espetáculo “Quem matou Zefinha?” que completa 20 anos. Em cortejo para a Praça José de Alencar o Maracatu Reis de Paus, que esse ano completa 50 anos, faz cortejo e adentra na programação festiva da Praça José de Alencar.

18h
Momento singular na história recente do TJA: a Hora de Ângelus, uma das marcas da programação dos dias 17, acontece às 18 horas, com os solistas Franklin Dantas (Ave Maria de Macagni) e Aparecida Silvino (Ave Maria de Gounod), seguidos da já tradicional chuva de pétalas de flores, com alunos e ex-alunos do Curso Princípios Básicos de Teatro (CPBT). Em seguida, 18h15, tem apresentação da Camerata Eleazar de Carvalho no pátio nobre do Theatro. A programação é acompanhada de projeção de imagens do TJA, de Fortaleza e do Ceará, dentro da mostra “Um teatro, uma cidade, tantos mundos”.
Em paralelo a celebração no Theatro, também às 18h, a Praça José de Alencar recebe uma sessão de cinema com a apresentação de um documentário sobre Fortaleza promovido pelo projeto “O Arquivo Nirez Vai à Praça”, com imagens do acervo do pesquisador e colecionador Miguel Ângelo de Fortaleza no início do século XX.

18h/20
No palco principal o premiado espetáculo “O Cantil”, do grupo Teatro Máquina, é apresentado ao público. A peça traz uma leitura particular sobre a clássica peça “A Exceção e a Regra”, de Bertolt Brecht, onde uma dupla de atores venda os olhos e se deixa manipular em suas ações assim como bonecos. Depois, o teatrólogo Ricardo Guilherme, que este ano completa 40 anos dedicados às artes cênicas, entra em cena às 20h no solo “A Divina comédia de Dante e Moacir”, comédia consagrada que brinca com os mitos de Iracema, Fortaleza, José de Alencar e com o Ceará.

21h/2h
A programação termina em mais festa: o Baile dos 100 Anos nos jardins do TJA está programado para começar às 21h. É aberto ao público e será animado até às 3h. No comando da pista de dança, banda Os Brasas e a DJ Renatinha. A festa tem início às 21h.

Confira todas as notas sobre o centenário do Theatro José de Alencar

CATEGORIAS: TJA 100 anos

Comentários

Deixe aqui seu comentário

1

Isabela

junho 18, 2010 às 18:07

este ano nossa quadrilha em itapipoca…. está homenageando o centenário do theatro josé de alencar…. amamos musica, dança, teatro e arte… parabéns